Fotos: Piero Ragazzi/FotoColetivo

É incrível o nível de organização do UFC. Nós, desacostumados a ser bem tratados nos eventos onde pagamos ingresso, ficamos ainda mais surpresos em sermos tão bem tratados em eventos que estamos cobrindo.
Tudo começa na chegada. Estacionamento sinalizado, entrada para imprensa sem atropelos, credenciamento rápido.

A segurança que nos nossos eventos costuma ser truculenta e impaciente, mostra exatamente o contrário. Gentileza o tempo todo, sempre solícitos quando necessário uma informação.

De lá somos direcionados a sala de imprensa, climatizada, com wi-fi, café e comida para termos um bom ambiente para trabalhar. Todos os órgãos de imprensa são tratados da mesma maneira, sem distinção de tamanho.

Os lutadores Godofredo Pepey, Hugo Wolverine e a lenda Chuck Liddell chegam para dar autógrafos e tirarem fotos com os fãs,que formam longa fila. Todos são atendidos, e após isso, os mesmos lutadores são conduzidos ao palco montado para pesagem, onde acontece uma sessão de perguntas e respostas intermediadas pela jornalista do UFC Paula Sack. Fica muito claro o carinho do público por Chuck Liddell, que retribui ao público, dizendo-se muito feliz de estar em Jaraguá e sentindo essa vibração toda.

Falta uma hora ainda pra pesagem e os mesmos 3 vão pra sala de imprensa, onde atendem agora a mídia pacientemente. Aproveito que já havia conversado com os 3 e vou dar uma volta, ver o que esta acontecendo na Arena.
Na saída dou de cara com Cristiano Marcello, fera do jiu jitsu (foi durante antes treinador da Chute Boxe) e lutador do UFC. Troco algumas palavras com ele, falo sobre o evento, tiramos uma foto e ele segue para outra entrevista.

Chega a hora da pesagem! Estamos posicionados na segunda fileira, bem centralizados, em frente a balança! Jon Anik e o staff do UFC entram e o evento começa. Vibração e barulho da galera.

Uma coisa fica bem clara aos olhos de todos: O corte de peso é realmente a parte mais sinistra para os lutadores. Quase todos muito abatidos, com semblante de sofrimento. Apenas o americano John Cholish não bate o peso e acaba ficando 100 gramas acima do permitido. Porém, na segunda tentativa, ele bate o peso e esta tudo ok para a a luta. Yuri Marajó também sofre muito e é um dos mais abatidos. Muito uso da toalinha (quando o lutador fica nu para bater o peso) nesse evento. Destaque ainda para o sempre simples e cativante Francisco Massaranduba e sua cueca furada. O público adora sua simplicidade, de quem só quer “dar porrada”.

Ronaldo Jacaré sobe ao palco fazendo seu gesto característico com os braços, imitando o animal que lhe apelida, mas a encarada com Camozzi é tranquila.

Chega a hora da pesagem da luta principal. Luke Rockhold sobe ao palco ao som de “uh vai morrer” da torcida e provoca, pedindo gritos mais altos. Vitor vem em seguida, e mostra seu moicano e joga a camisa pro público.
Bate o peso e chega a hora da encarada. Vitor coloca as mão próximos do rosto de Luke, que não gosta e vai pro cara a cara com Belfort, que coloca as duas mãos nos ombros de Luke e o empurra. A turma do deixa disso chega logo, o americano solta mais alguns palavrões contra o brasileiro que responde dizendo “aqui não” e fazendo um gesto para torcida de quem vai cortar a cabeça do americano. Clima quente e promessa de um grande evento amanhã.

 

 

 

Vitor mandou o recado no final da encarada, cabeças irão rolar.

Estaremos cobrindo ao vivo, com um play by play na fanpage no facebook. Confiram amanhã a partir das 17:30!